#19 Resenha: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban




No 3º volume da série, os sentimentos de Harry se aprofundam a partir do momento que ele descobre que tem um padrinho e que pode, finalmente, se ver livre do inferno de vida com os Dursdley. 
Mas suas "asinhas" são cortadas quando Sirius foge da prisão e vira o criminoso mais procurado no mundo, - além do tio Voldy, claro - minimizando as chances de Harry ir morar com ele no próximo verão. 
Harry, Rony e Hermione também se surpreendem com o novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, Lupin, que transforma as aulas em um momento de prazer e diversão para todos os alunos. Mas, passado algum tempo, o trio irá descobrir que o melhor professor do mundo esconde um terrível segredo capaz de acabar com toda a felicidade dos três e com a tranquilidade de Hogwarts.
Dementadores se aproximam da escola. Criaturas malignas, capazes de acabar com a felicidade do local no qual se aproximam e, além disso, o beijo de um desses monstros destrói a alma da pessoa. 
Sirius é visto como o bruxo mais maligno de todos os tempos - depois de Lord Voldemort, claro - e está sendo procurado por todos os cantos pelos dementadores e também pela população bruxa.




O segredo de Lupin é revelado e Sirius é posto contra a parede. O plano todo corre por água a baixo e Snape acaba entrando na história, para piorar tudo. A lua cheia aparece, trazendo consigo problemas, mistério, segredos e revelações. 
O Prizioneiro de Azkaban é o melhor livro/filme de toda a série. Intrigas, família, amigos, mistérios, tudo junto e misturado no livro mais revelador da série. 
O leitor sente medo, tristeza, amor, alegria, felicidade, insanidade e muito mais a cada capítulo que se passa. Ótima leitura.

Dâmaris.
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger