DÚVIDAS


Minha cabeça parecia que ia explodir a qualquer momento. Eu não sabia para onde ir, o que falar, o que fazer. 
Estava confusa. Atordoada. Perplexa. Assustada.
Queria fugir para o mais longe possível daqui. Ficar longe de tudo e de todos, para ver o que ia mudar. Quem ia se importar. 
Queria mudar meu visual, cortar meu cabelo, colocar piercings, mudar meu estilo de roupas, só para ver se alguém ia notar. 
Será que algum dia essa sociedade hipócrita vai mudar? 
Será que algum dias as pessoas vão parar de se preocupar com o que os outros pensam para começar a viver por si mesmos, pensando apenas na felicidade? 
Será que algum dia pessoas próximas a nós deixarão de ser influenciados pelo o que um adolescente deve ser e se preocupar mais no que o adolescente sente e quer, realmente ser? Ou, até melhor, será que algum dia os adultos começarão a acreditar que os adolescentes tem sentimentos? 
Será que nossas escolhas, algum dia serão valorizadas?
Será que tudo o que fazemos sempre está errado? 
Será que nunca teremos a chance de escolher? 
Será que viveremos a vida inteira com tantas dúvidas? 
Será que nunca teremos as respostas? 

Dâmaris.

DESESPERO

Eu estava correndo há muito tempo. Sempre gostei do bosque ao lado de minha casa, mas agora ele estava fazendo meus piores pesadelos virarem realidade. E aquilo que achei só existir em filmes, estava agora correndo atrás de mim sem esforço algum, enquanto eu estava arfando tanto que estava com medo de vomitar meus pulmões na próxima arfada de ar.
Quando me permitia olhar para trás, via que ele estava sempre mais próximo, seja meio metro ou dois metros. E sempre tinha aquele sorriso malicioso nos lábios, como se estivesse se divertindo ao ver meu sofrimento. Ele era alto, uns bons 30 centímetros maior que eu. Seus braços davam o triplo dos meus e o pior, ele era lindo! Um tipo moreno, grande e com cara de mau, se eu não estivesse correndo desesperadamente dele, provavelmente teria ficado pasma com tamanha beleza.
Quando estava avistando o fim do bosque, senti ele se aproximar subitamente de mim e agarrar minhas pernas. Caímos juntos ao chão, ele por cima de mim. Tentei dar-lhe um chute no rosto, mas ele segurou minhas pernas mais forte. Notei que meus braços estavam livres, então tentei desesperadamente socar, arranhar, estapear: qualquer coisa, desde que machucasse meu agressor.
Mas ele segurou com muita facilidade meus pulsos. Então fiquei imóvel e analisei a situação em que me encontrava: ele estava agarrando minhas pernas com um dos braços e com o outro, meus braços. Ou seja, eu não tinha escapatória. Ele notou quando me rendi e alargou o maldito sorriso.
Ele continuou segurando meus braços e apoiou uma das pernas em cima de mim, ficando meio ajoelhado sobre mim. Usando o braço agora livre, tirou uma mochila (que eu nem tinha notado) das costas. De dentro tirou cordas e algemas.
Quando eu estava bem presa (algemada nos pulsos e pés amarrados), ele me pegou no colo como se eu fosse um bebê e começou a caminhar. Seu cheiro era de perfume masculino, misturado com suor, um cheiro muito bom, o que me deixou mais irritada ainda.
Ele continuou andando por um longo tempo. Quando entramos na parte mais densa do bosque, ele virou à esquerda, me jogou no chão e abriu um alçapão, ali, no meio do nada. Ele voltou a me pegar e nós entramos. Demorou um tempo para meus olhos se acostumarem com a escuridão, mas assim que vi onde estava, preferiria que ele tivesse me matado logo.
A sala era grande, no meio tinha uma cama de metal com vários fios elétricos ligados a ela. Possuía várias fivelas de couro e um buraco bem no meio, o qual eu não sabia pra quê servia. Alguns metros do lado, tinha uma mesinha com vários instrumentos de tortura: alicates, bisturis, facas de todos os tamanhos e tipos, lâminas, moedas, panelas, uma caixinha com algum tipo de animal dentro, e ao lado da mesa, tinha um fogão e no chão um serrote.
Assim que terminei de analisar a sala, voltei minha atenção para o cara que ainda me tinha no colo, ele olhava para mim com o mesmo sorriso nos lábios e assim que meus olhos encontraram os dele, de um profundo preto, ele ficou subitamente sério. O rosto dele se aproximou do meu e sua boa tocou a minha. Minha raiva foi tanta que arranquei um pedaço de seu lábio. Ele me deixou cair no chão de costas e olhou para mim com tamanha fúria que me arrependi na hora de ter feito o que fiz.
Ele soltou minhas mãos e meus pés e me amarrou na cama com tamanha força, que meus pulsos cortaram e sangraram. E quando pensei que ele me deixaria ali durante muito tempo, ele ligou os cabos elétricos ligados à cama. Levei um choque tão grande que mordi a língua e na mesma hora senti o gosto de sangue. Ele não parou, continuou dando choques, até eu ganhar convulsão e desmaiar.
Quando acordei, ele estava preparando as facas, de costas para mim. Quando ele se virou, toda a fúria de antes tinha sido dissolvida de seus olhos, onde agora tinha voltado à diversão e a malícia.
Ele veio em minha direção com uma faca de carne e uma faquinha de serra. Comecei a tremer no mesmo momento. Ele passou a faca por sobre meu corpo e parou nos pés. Ele tirou meu tênis e minha meia do pé esquerdo e, quando eu não conseguia mais esperar, cortou um de meus dedos, provavelmente o dedão. A dor foi tanta que pensei que ia morrer, mas ele não parou com meus gritos, cortou todos os dedos um a um, e depois foi à vez do outro pé, onde ele fez a mesma coisa. Não suportei e acabei desmaiando novamente.
Quando acordei, ele estava preparando os alicates, mas o que mais me chamou a atenção, foi que umas das fivelas de minha mão estava solta, aproveitei a chance, silenciosamente e cuidadosamente deslizei minha mão para fora, abri a da outra mão e soltei meus pés, tendo cuidado para não gritar, pois a dor era muita.
Sentei-me na cama sem fazer barulho e vi que tinha uma faca ao alcance de minha mão. Eu sabia que se ele me pegasse viva, seria cada vez pior, então, quando ele se virou, eu peguei a faca e enfiei-a em meu coração com um sorriso de triunfo nos lábios, pude ver o rosto banhado em fúria e o olhar de decepção no rosto dele, pois eu tinha acabado de estragar seu joguinho. Não me importei com o que ele faria com meu corpo. Só conseguia pensar que a dor passaria rapidamente.


Ele, vendo que a garota estava morta e que seu plano de torturá-la e com isso se satisfazer com o sofrimento dela, tinha sido em vão, ficou muito irritado. Na hora,  ficou tão nervoso, que nem mediu as conseqüências do que faria com o corpo daquela linda garota. Foi então que pensou na única maneira de se vingar por ela ter se matado, era fazendo com que mesmo depois da morte, o corpo e a alma dela sofressem as conseqüências.

Dâmaris e Giovani. 

MAIS NOVIDADES POR AQUI

Bom gente, hoje vim anunciar que começarei a postar contos escritos por mim e por meus amigos. Serão contos de diversos temas, desde românticos a de terror. 
Espero que comentem se gostaram ou não! 

Beijos e abraços da bloggeira (:

Dâmaris.

#4 Resenha: Para Sempre

Para Sempre

A história de um casal que se conheceu e se apaixonou por telefone. 
Kim e Krickitt Carpenter mantinham uma vida normal de casados até um grave acidente acontecer durante uma viagem de carro. Eles foram atingidos por uma caminhonete e Krickitt teve um sério ferimento na cabeça, o qual a deixou em coma por várias semanas. 
Seu marido, Kim, mal podia aguentar de preocupação vendo sua esposa deitada em uma cama de hospital, com várias máquinas ligadas a ela e sua vida por um fio. Os médicos diziam que só com um milagre ela sairia disso. 
Depois de várias semanas ela finalmente acordou. Felizmente sem muitos traumas físicos e, os poucos que tinha, seriam corrigidos com fisioterapia. Já psicológicos, foi descoberto que ela havia perdido todas as memórias mais recentes. Inclusive a de ter conhecido, casado e vivido com seu marido Kim. 
A vida de Kim ficou extremamente abalada com a notícia mas ele não a abandonou. 
Por mais que falassem a ele que eles jamais voltariam a viver como marido e mulher algum dia, ele foi fiel ao seu juramento perante ela e Deus. 
Um livro de superações e fé, que deixa o leitor muito emocionado a cada página virada. 
Leiam. Leiam. Leiam!

Dâmaris.

SER DIFERENTE


Ser diferente, quer dizer muitas vezes não ser aceito.
Quer dizer se sentir excluído, mesmo com amigos.
Ser diferente é gostar do seu jeito,
mas querer mudar, só pra deixar de ser estranho.
É, em algum dias, se perder,
Apenas imaginando ser igual a todo mundo;
No entanto, em outros, ter orgulho de ser o que é.
É viver imaginando o " E se", mas não saber
exatamente por quê.
É querer fugir, se esconder,
mas também é estar nem aí.
É enfrentar as críticas, sem mudar o jeito.
É se olhar no espelho, quando está " socialmente aceito"
e não se ver refletido ali.
É complicado. Mas ao mesmo tempo é natural.
É viver em um mundo que não aceita direito o "seu mundo".
É não combinar em lugar algum, é mudar de uma hora pra outra,
sempre sendo você.
É não saber mais o que escrever, e por isso por um ponto final.

K. Schneider

O GIGANTE ACORDOU


"Verás que um filho teu não foge a luta." 
Hoje vejo um real significado para essa frase. 
Lutas, manifestações, protestos, gritos de guerra, cartazes e caminhadas. 
Tudo isso por um país melhor. 
Tudo isso por investimentos em algo mais rentável do que a copa do mundo e seus estádios. 
Educação. Saúde. Transporte Público. Infra-Estrutura. Segurança. Será a copa tão mais importante que isso?
Não!
Será que 400 milhões de reais investidos em estádios para a copa são mais bem gastos, do que se essa exorbitância de dinheiro fosse investida na saúde e na educação?
Não!
Tudo por causa de 0,20 centavos?
Não!
O povo simplesmente usou esse motivo para ir as ruas e aproveitou para protestar pelas outras coisas que estão ruins. Saúde precária. Educação precária. Segurança precária. Praticamente tudo em nosso país está precário, e os nossos bons e preocupados governantes priorizando a copa do mundo e seus estádios.
Não é a toa que o Brasil é visto como o país do futebol. Do carnaval. De mulher pelada. De vagabundagem.
Porque quando acontece um evento famoso aqui, é apenas isso que os turistas encontram. Super valorização de coisas não tão importantes assim.
Mas é nesse país em que vivemos, e se tudo chegou tão longe assim foi porque nós mesmos deixamos isso acontecer. Nós ficamos parados enquanto nossos caros governantes gastavam nosso dinheiro da forma que eles queriam.
Mas agora isso mudou. Agora o povo está nas ruas em favor dos seus direitos.
Finalmente o POVO acordou.
Finalmente o GIGANTE acordou.

Dâmaris. 

LEMBRANÇAS


Parei no meio da rua. No mesmo lugar em que estivemos na primeira vez que ficamos juntos. Olhei para o céu, que hoje está cheio de nuvens, e lembrei do outro céu: limpo, claro e estrelado, com uma enorme e linda lua cheia, e até uma estrela cadente, nos cedendo o desejo ,ou sonho, de estarmos juntos para sempre. 
Lembrei de tudo o que fizemos, de tudo o que sonhamos, de tudo o que planejamos.
Lembrei de quem você foi e de quem é hoje. 
Então vi que muita coisa mudou. Mais do que eu imaginava. E mais do que eu queria. 

Dâmaris.

O REAL SENTIDO DO NAMORO


Conseguem sentir os cheiros? Chocolates? Flores de todos os tipos? Perfumes? Cartões perfumados? Amor? Paixão? 
Sim, cheiro de Dia dos Namorados. Cheiro de romance. Gosto de querer ficar junto dele/dela nesse dia tão especial para os apaixonados. 
Coisas tão clichês não acham? Mas como não ser clichê quando o assunto é amor? Impossível. 
(...)
Eu olho para a pessoa que está ao meu lado e vejo tudo aquilo que faltava em mim. Vejo alguém que me entende, me consola, me ama, me dá carinho, me ensina, me apoia, alguém que sei que vai estar comigo sempre que eu precisar, alguém que seca minhas lágrimas, alguém que sabe meus gostos, que entende minhas crises de loucuras, que me faz ciúmes só porque acha que fico bonitinha, que ri comigo de coisas bobas. Minha metade da laranja, a tampa da minha panela, minha alma gêmea. Alguém por quem eu lutaria até meu último suspiro de vida.
(...)
Sentimentos assim definem o sentido de um namoro. Sentimentos assim definem a felicidade em um namoro.
Não adianta namorar só pelo simples fato de não querer ficar sozinho.
Para namorar tem que se comprometer.
Para namorar tem que saber amar.

Dâmaris. 

Obs: Especial pro meu Alison.

OS CÓDIGOS DO AMOR


Muitas pessoas já me falaram: "Pra que namorar?! Só pra se incomodar! Melhor mesmo é ficar solteira e poder fazer o que quiser!" Não sei, mas eu discordo. 
Namoro é coisa séria. Namorar é ser companheiro, fiel, amigo, amor, amante, parceiro, e por aí vai. Para um namoro dar certo é preciso amor. E acho que esse é o problema de muitos casais hoje em dia. Ninguém mais sabe o sentido do amor. Ninguém mais quer sentir amor por ninguém, pois acha que é "furada". 
(...)
Mas gente...
Amor é se sentir feliz quando a outra pessoa está feliz. É olhar para o sorriso da pessoa e sorrir junto, automaticamente, porque parece o certo a ser feito. Amor é olhar no fundo dos olhos da pessoa e saber tudo o que a pessoa está sentindo. Amor é querer cuidar do outro mesmo sem conseguir cuidar de você mesmo. Amor é querer ser o mundo da pessoa. Amor é querer estar com a pessoa a cada momento. Amor é sentir duas vezes mais dor quando vê a outra pessoa ferida. 
Amor é tudo isso e muito mais. 
Amor é um sentimento formado por códigos. Poucas pessoas são capazes de decodificá-lo. Muitas desistem antes mesmo de começar. Algumas morrem sem compreender completamente este sentimento arrebatador. Que chega como uma onda, se formando pequeninho lá no fundo do oceano, mas que depois é impossível segurar. 
Quando se ama alguém, tudo é motivo para lembra da pessoa. Uma palavra. Uma cor. Uma música. Um livro. Um texto. Um título. Uma blusa. Um casaco. Um ursinho. Uma dança. Um vídeo. Tudo. 
Quando se ama alguém você tenta fazer tudo certo, mesmo sabendo que é impossível acertar sempre. Mas você tenta mesmo assim. 
Quando se ama alguém você luta. Você busca. Você vai atrás. Sem medo. Sem receio. Sem preocupações. 
Quando se ama alguém fica mais difícil se concentrar em outras coisas que não sejam os olhos, a boca, as mãos, o cabelo, a voz... da pessoa. 
Quando se ama alguém você conta os minutos para estar perto. Para estar junto. 
Quando se ama alguém tudo que antes era irracional se torna racional. Por isso as outras pessoas pensam que você está louca. Por isso é tão difícil explicar o que se sente para quem não sente o mesmo. 
Quando se ama alguém... Apenas ama. Simples assim. 

Dâmaris.

O LADO BOM DE SER CRIANÇA


Quando somos crianças, usamos as roupas e sapatos de nossos pais. Desejando ser como eles. Fazer o que eles fazem, poder sair sem pedir ou voltar para casa a hora que der na telha. Poder escolher que roupa usar na festa de aniversário de um amigo, ou se vai na escola hoje ou não. 
Tudo que uma criança quer, é crescer. Ser adulto. 
Mas ser um adulto com as mesmas "liberdades" de uma criança. 
Sem ter responsabilidades, contas para pagar, vestibular para se preocupar, casa para limpar, comida para fazer, e as outras muitas coisas que os adultos fazem. 
Mas, quando crescem, tudo o que querem é poder voltar a ser criança. Voltar a se preocupar com que cor de lápis de cor escolher, se vai brincar na praça ou ficar em casa, se vai ler livrinho da coleção Frutos do Mar ou assistir Cão Coragem, que boneca (ou carrinho) vai levar na escola no Dia do Brinquedo, qual a próxima historinha que seu pai vai contar pra você antes de dormir: será da borboleta ou da pombinha?... Coisas assim ocupam a mente de uma criança e ficam com ela até o fim. Seja adolescente, adulto ou idoso, a pessoa sempre vai lembrar da melhor época da vida dela: a infância. Quando você não precisava nem se preocupar em tomar banho sozinho, porque sabia que, assim que chegasse em casa sua mãe estaria te esperando, às vezes preocupada. 
"MÃE, TO COM FOME!" Hoje, adolescentes gritam isso e recebem de volta: "Tem comida na geladeira." Quando somos crianças, logo depois do banho a janta está quentinha em cima da mesa, pronta. 
(...)
Qual o lado bom de ser criança? 
A vida sem preocupações e responsabilidades, para mim, seria a resposta correta. 
Saber que seus pais estarão lá por você, sempre que precisar. Que, se você fizer algo errado, eles te protegerão e assumirão a culpa no seu lugar, respondendo pelo que você fez. Que seus pais te amam e sempre irão te amar, independente do tamanho do erro que você cometeu. 

Dâmaris.

#3 DEPOIMENTO

Depoimento por Giovani A. B. Hellmann

"A leitura transforma as pessoas. Sim, torna-as mais capazes. Capazes de tudo. Consegue fazer com que viaje por diversos lugares sem sair do lugar. Que se encante por personagens incríveis, os quais nem fazia ideia que existiam. Serão eternizados em sua mente. Me apaixonei pela leitura muito cedo. Lembro da primeira coleção que ganhei, era do Ursinho Pooh. Meu pai lia todas as noites para mim *--*. Foi através deste primeiro contato com a leitura, que fez com que minha infância ficasse mais cheia de sonhos, de imaginação, de alegria. Continuei lendo muito com o passar dos anos. E hoje vejo como esse pequeno ato que começou na infância me ajudou e continua ajudando muito. Na escrita, na compreensão de textos, na forma de me expressar e de ver o mundo. Ficção científica, aventura, terror, são meus estilos preferidos. Enfim, recomendo que todos leiam, pois ler faz bem, faz MUITO bem. Leiam. Leiam. Leiam!"
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger